Ouça a Rádio Alvorada

Play
Pause

17 de May de 2024

Ouça a Rádio Alvorada

Play
Pause

“Fritamos e comemos a orelha dele”, diz infrator após arrancar a orelha da vítima

Compartilhe:

 
Sob orientação da Coordenadora Regional, Dra. Valéria Chaves e do Dr. Robério Farias, a Equipe da PC, formada pelos Delegados: Dr. Manoel Andreetta; Dr. Bruno Ferrari,  Dr. Ricardo Amaral e Dra. Rina Andrade, juntamente com o SI desta Coordenadoria, comandada pelo IPC Sérgio Adriano informaram a conclusão das investigações envolvendo o homicídio praticado contra da vítima Mauricio Souza dos Santos, fato ocorrido na madrugada do dia 24 de novembro de 2016, por volta das 00:30h, na sua residência, situada na Rua Brumado, n. 804, no Bairro Caminho do Mar II. Sendo os autores identificados pelo crime praticado Lucas Pereira de Lima, o “Luquinhas”; Manrique de Jesus Pereira e Leandro Poluceno Fernandes, o “Bagre”. Contando com a participação dos investigados José Alan Silva Lima, Rivandeck Correia Pereira, Rodrigo Carvalho dos Santos, o “Rodrigo Caçador” e Marcelo Braz Costa, o “Babão”.
Através das investigações ficou constatado que os investigados fazem parte de uma gangue de traficantes atuantes nos Bairros Caminho do Mar I e II e Nova América, contando como chefes imediatos, os traficantes conhecidos como Patrick Castro Pereira, o “Jack” ou “Pato” e Max Milan de Almeida, o “Max”, mortos em confronto com a PM/RONDESP no dia 26 de janeiro de 2017, pertencentes a facção comandada pelos irmãos Ébio Ferreira Batista, o “Ebão”, morto em confronto com a PM/CAEMA no dia 28 de dezembro de 2016, e Eudo Ferreira Batista, o “Eudinho”, ambos que contam como fornecedor, o traficante Farlei Ferreira, o “Coroa”. O crime teve como motivação a disputa por território no tráfico de drogas, sendo certo que a vítima Maurício,  pertencia ao grupo de traficantes rival, tendo como chefes os irmãos Augusto José Cardoso, o “Zóio” e Joaquim Dias Cardoso, o “Bracinho”, que assumiram o comando do tráfico nos referidos bairros, após a morte do traficante Romario Gumieiro, o “Barrão”, fato ocorrido em 16 de janeiro de 2016. Quinze dias antes do crime, a vítima Maurício havia atentado contra a vida do infrator Manrique em decorrência da disputa por pontos de venda de drogas. Em razão disso, os investigados tramaram e executaram a vítima com requintes de crueldade, utilizando para a execução do crime 02 révolver calibre 38 e 01 espingarda calibre 12, arrancando, inclusive, uma das orelhas da vítima, após dispararem várias vezes contra a mesma,  deixando para trás, durante a ação criminosa, uma testemunha presencial. O investigado José Alan, foi preso em flagrante no dia 20 de dezembro de 2016, portando 02 revólver calibre 38 usados para matar a vítima Maurício.
Segundo o adolescente, eles arrancaram a orelha da vítima para mostrar ao chefe que o mesmo estava morto.  Durante a reunião do grupo, ao apresentar a orelha ao chefe o mesmo disse… “nós nos reunimos e para comemorar a morte da vítima, fritamos e comemos a orelha dele”. A espingarda calibre 12 está sendo investigada na prática de outros homicidios, entre eles o da vítima Daniele Fernandes fato ocorrido no dia 09 de julho de 16, as margens do Rio Itanhem, nos fundos do Clube Floresta.
Informações Ascom/PC
 

Compartilhe:

Leia mais

Investimentos da Apple na Bahia
PRF
Processo contra deputados
Demarcação terra indigena
Acao MPF
Bicho preguiça resgatado
Cumprimento mandados
Estudo de potencial
Sac Movel
Recursos assentamentos capa
Hospital Costa das Baleias capa
Policia Civil

Rede Sul Bahia de Comunicação - 2023 ©. Todos os direitos reservados

Rede Sul Bahia de Comunicação - 2023
© Todos os direitos reservados