Ouça a Rádio Alvorada

Play
Pause

17 de May de 2024

Ouça a Rádio Alvorada

Play
Pause

Academia teixeirense de letras celebra os 170 anos de Castro Alves e premia melhores poetas e cronistas em sessão solene memorável

Compartilhe:

A ATL – Academia Teixeirense de Letras celebrou o 170º aniversário de nascimento de Castro Alves, poeta maior da Bahia e patrono-geral da confraria, em sessão solene memorável realizada na noite deste último sábado (18/3), no auditório Francistônio Alves Pinto da Câmara Municipal de Teixeira de Freitas.

Além das homenagens ao Poeta dos Escravos, o evento ainda foi marcado pela premiação dos vencedores do Prêmio Castro Alves de Literatura, nas categorias Poema e Crônica, para o deleite dos premiados e alegria de seus familiares e amigos presentes.

A mesa foi composta pelo acadêmico e presidente da Comissão Julgadora da versão externa do Prêmio, Fabiano Novais; pela professora Enelita Freitas, que palestrou sobre a poesia social de Castro Alves e, também, declamou “O Navio Negreiro”; a secretária-geral Cristhiane Ferreguet; o vice-presidente Athylla Borborema; o presidente Almir Zarfeg; a professora e presidente da Comissão Julgadora da versão interna do Prêmio, professora mestra em literatura da UNEB, Arolda Maria Figueiredo; o diretor de Eventos Carlos Mensitieri; e o professor doutor e filólogo carioca José Pereira da Silva.

Assim que o presidente Almir Zarfeg abriu a sessão solene, o vice-presidente Athylla Borborema, que também é diretor de Comunicação Social do Pode Legislativo teixeirense, fez a entrega de uma Moção de Congratulação às acadêmicas da ATL. A homenagem, de autoria do acadêmico e vereador Valci Vieira, remetia ao Dia Internacional da Mulher, celebrado no último dia 8 de março. Foram homenageadas as imortais Cássia Oz, Cristhiane Ferreguett, Edla Almeida, Edinar Cerqueira, Gisele Ellen, Fabiana Pinto, Jean Albuquerque e Maria Leôncio.

Em seguida, a professora Enelita Freitas discorreu sobre Castro Alves, “cuja poesia lírico-amorosa, ao explorar a ideia de amor, foge às características da poesia romântica onde a mulher é representada como inatingível. São virgens pálidas, puras, de um pudor inquestionável”. Em suas palavras, a professora Enelita destacou a vida e a obra do poeta baiano, destacando a relevância literária dele na chamada escola romântica e também na literatura brasileira. Num dos pontos altos da cerimônia, a professora declamou o poema castroalvino “O Navio Negreiro”, para a alegria e fascínio do público presente.

E passou-se à premiação dos vencedores da versão externa do Prêmio Castro Alves de Literatura. Os três primeiros colocados, nas categorias Poema e Crônica, receberam diplomas, medalhas e uma quantia em dinheiro. Os 4º, 5º e 6º lugares receberam menções honrosas. Os grandes vencedores na categoria Poema foram Ada Tigre (1º lugar), Enelita Freitas (2º lugar) e Jackson Novais (3º lugar). As menções honrosas foram Lusinalva Oliveira, Julio Moreira e Mikaelle Alves.

Os vencedores da categoria Crônica foram Igor Mascarenhas (1º lugar), Mikaelle Alves (2º lugar) e Patrícia Brito (3º lugar). As menções honrosas foram para Enelita Freitas, Nadma Reis e Gabrielle Rodrigues.

Trechos dos três poemas vencedores e das crônicas foram dramatizados por Ada Tigre e Mikaelle Alves, respectivamente.

Os três primeiros colocados da versão interna do Prêmio Castro Alves de Literatura – a saber, os membros da ATL – receberam diplomas e medalhas. Já o 4º, 5º e 6º lugares receberam menções honrosas.  Os vencedores da categoria Poema são João Carlos de Oliveira (1º lugar), Castro Rosas (2º lugar) e Cássia Oz (3º lugar). As menções honrosas para Armando Azevedo, Ramiro Guedes e Amaro Sant’Anna.

Os vencedores da categoria Crônica são Fabiano Novais (1º lugar), Fabiana Pinto (2º lugar) e Castro Rosas (3º lugar). As menções honrosas para Gisele Ellen, João Rodrigues e Ramiro Guedes.

Durante o evento, o acadêmico Celso Kallarrari recebeu o Troféu Cora Coralina, concedido pela Academia de Letras de Goiás, da qual é Membro Correspondente na Bahia.

Um outro convidado especial da sessão, o professor aposentado da Universidade Estadual do Rio de Janeiro José Pereira da Silva, que é filólogo, mestre e doutor em linguística e membro titular do Circulo Fluminense de Estudos Filológicos e Linguísticos, enalteceu a cerimônia: “Estou encantado com o nível da Academia Teixeirense de Letras, nem a Academia Brasileira de Letras onde já estive em inúmeras sessões, eu consegui ver uma sessão solene tão linda e memorável.

“Parabéns à ATL e seus imortais que, com apenas um ano de existência, se tornaram referência na região e na Bahia”, festejou o poeta e jornalista Almir Zarfeg, presidente da agremiação literária.

 
(Por Ronildo Brito)
 

Compartilhe:

Leia mais

Investimentos da Apple na Bahia
PRF
Processo contra deputados
Demarcação terra indigena
Acao MPF
Bicho preguiça resgatado
Cumprimento mandados
Estudo de potencial
Sac Movel
Recursos assentamentos capa
Hospital Costa das Baleias capa
Policia Civil

Rede Sul Bahia de Comunicação - 2023 ©. Todos os direitos reservados

Rede Sul Bahia de Comunicação - 2023
© Todos os direitos reservados