Ouça a Rádio Alvorada

Play
Pause

22 de April de 2024

Ouça a Rádio Alvorada

Play
Pause

Tempo de estudo no Brasil é inferior ao de países do Mercosul e Brics, aponta IDH

Compartilhe:

Franedir Gois/Opovonews
 

No ranking mundial de desenvolvimento humano, o Brasil ocupa 79ª posição entre 188 países. Enquanto média de estudos no país é de 7,8 anos, Mercosul registra 8,6 anos e Brics, 8,8 anos.

Relatório de Desenvolvimento Humano (RDH) divulgado nesta terça-feira (21) pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud) indica que a média de anos de estudo no Brasil é inferior às médias registradas no Mercosul (Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai) e no Brics (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul).

O RDH é usado pela ONU para divulgar o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) de cada país e o raking mundial de desenvolvimento humano.

Para elaborar o relatório, a ONU se baseia em indicadores de educação, saúde e renda coletados em bases de dados de internacionais, como a Organização Mundial de Saúde (OMS) e a Organização Internacional do Trabalho (OIT).

Segundo o ranking mundial de IDH divulgado nesta terça, com 188 países, o Brasil estacionou no 79º lugar (IDH 0,754) entre 2014 e 2015. O relatório da ONU foi elaborado em 2016 e teve com base dados de 2015.

Conforme o RDH do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento, a média de anos de estudos no Brasil é de 7,8 anos.

Neste ano, diz a ONU, o resultado brasileiro manteve a trajetória de crescimento registrada desde 2010. Naquele ano, eram 6,9 anos. O número, então, subiu para 7,2 anos em 2012 e para 7,7 anos em 2014, por exemplo, chegando a 7,8 anos em 2015.

Mercosul

Entre os países do Mercosul, porém, o Brasil está atrás:

  • da Argentina (9,9 anos);
  • do Uruguai (8,6 anos);
  • do Paraguai (8,1 anos).

A média de anos de estudos dos quatro países é de 8,6 anos.

Brics

No caso dos Brics, o Brasil também fica atrás de:

  • Rússia (12 anos);
  • África do Sul (10,3 anos).

Mas à frente de frente de:

  • China (7,6 anos);
  • Índia (6,3 anos).

Mesmo assim, a média do grupo é de 8,8 anos de estudo.

Ranking mundial de IDH

O ranking mundial de IDH divulgado pelas Nações Unidas aborda 188 países. O Brasil ficou em 79º lugar, com o índice em 0,754. O IDH varia de 0 a 1 e, quanto mais perto de 1, maior é o desenvolvimento humano do país.

Desigualdade

Ao elaborar o Relatório de Desenvolvimento Humano, o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento também divulga o “IDH ajustado à desiguldade”.

Nem todos os países têm esse índice medido pela ONU. No caso do Brasil, o Pnud afirma que, se for levado em conta o “IDH ajustado à desigualdade”, o índice de desenvolvimento humano do país cairia de 0,754 para 0,561 e o Brasil cairia 19 posições no ranking mundial. Países vizinhos como Argentina e Uruguai também perderiam posições, 6 e 7, respectivamente.

Entre os 20 primeiros países do ranking, classificados entre as nações com desenvolvimento humano “muito alto”, somente Países Baixos, Islândia, Suécia e Luxemburgo ganhariam posições, se levada em conta a desigualdade social. Estados Unidos, Dinamarca e Israel, por exemplo, cairiam.

Metodologia

De acordo com a ONU, o Índice de Desenvolvimento Humano leva em cosideração três fatores:

  • Saúde (expectativa de vida);
  • Conhecimento (média de anos de estudo e os anos esperados de escolaridade);
  • Padrão de vida (renda nacional bruta per capita).

Para formular o IDH, o Pnud informou que não coleta dados com os países analisados, mas, sim, checa bases de dados internacionais, como da Organização Mundial de Saúde (OMS) e da Organização Internacional do Trabalho (OIT).

De acordo com as Nações Unidas, é comum, após a divulgação do IDH, países reivindicarem melhores avaliações conforme dados próprios, contrariando o “princípio de independência” que o Pnud defende para o ranking mundial.

O IDH divulgado nesta terça foi elaborado em 2016 com base nos dados de 2015. O relatório do Pnud abrange 188 posições (no caso da China, o IDH de Hong Kong é divulgado em separado).

Segundo a ONU, o índice foi criado como uma forma de se contrapor ao critério de desenvolvimento de um país tendo como base somente o resultado de crescimento econômico, medido pelo Produto Interno Bruto (PIB).

O organismo internacional diz que outros critérios, como acesso à educação e expectativa de vida, também devem ser usados para medir o desenvolvimento de um país.

Compartilhe:

Leia mais

Bicho preguiça resgatado
Cumprimento mandados
Estudo de potencial
Sac Movel
Recursos assentamentos capa
Hospital Costa das Baleias capa
Policia Civil
Arma apreendida
Passaros apreendidos
Ambulancias
UFSB
Acessibilidade Bombeiros

Rede Sul Bahia de Comunicação - 2023 ©. Todos os direitos reservados

Rede Sul Bahia de Comunicação - 2023
© Todos os direitos reservados