Ouça a Rádio Alvorada

Play
Pause

17 de May de 2024

Ouça a Rádio Alvorada

Play
Pause

Combate ao trabalho escravo, segurança pública e sistema prisional serão prioridades do novo procurador-chefe do MPT empossado nesta quarta

Compartilhe:

O Ministério Público do Trabalho (MPT) na Bahia realizou na noite desta quarta-feira (18) cerimônia de posse do novo procurador-chefe do órgão no estado, Maurício Ferreira Brito. Em conversa com o Bahia Notícias, no evento, o novo administrador do órgão ressaltou suas prioridades da sua gestão e detalhou os principais pontos que irão ser trabalhados ao longo do biênio.

“A prioridade na gestão é tentar trazer mais eficiência nos diversos aspectos, seja na nossa estrutura material, na correlação atuação e focar nos temas prioritários, como o combate ao trabalho escravo”, disse.

Além do trabalho escravo, outro ponto que será tratado como prioritário para o novo procurador-chefe são as questões envolvendo a segurança pública e o sistema prisional.

“A gente tem um trabalho contínuo forte para melhorar as condições de trabalho do pessoal da segurança pública e para dar oportunidade para os presos egressos do sistema carcerário. Então talvez sejam dois temas aí muito prioritários e relevantes para toda a sociedade e que mexe nos mais básicos direitos fundamentais para a gente persistir e insistir”, detalhou.

Sobre a garantia de fiscalização das ações realizadas, principalmente, para o combate ao trabalho escravo, visto que a Bahia lidera como primeiro estado do nordeste com o maior número de empregadores na lista suja do MPT, Maurício esclareceu que o dado mostra que o Ministério está indo para o caminho certo nas políticas de enfrentamento.

“Essa grande quantidade de empregadores na lista suja, mostra que existe a chaga, o problema do combate ao trabalho escravo, mas mostra que estamos no caminho certo na política de enfrentamento. A gente tem um grupo coeso, a gente quer aumentar e fortalecer esse grupo, ter mais fiscalizações, fazer um trabalho do pós-resgate e principalmente tentar usar ali a ferramentas de inteligências de tecnologia, estudo prévio para gente ir no local certo, otimizando os nossos recursos”, explicou.

Com a maioria dos trabalhadores envolvidos em casos de escravidão na Bahia sendo negros, Ferreira também garantiu que entre um dos pontos a serem debatidos no seu biênio será o racismo, que, segundo ele, é um dos assuntos mais importantes para o país na legislação.

“Eu acho que ela ganha uma importância adicional no estado da Bahia. A gente pretende priorizar, é um tema transversal que perpassa pelas diversas áreas de atuação do combate ao trabalho escravo até mesmo a fraudes na administração

 

Compartilhe:

Leia mais

Investimentos da Apple na Bahia
PRF
Processo contra deputados
Demarcação terra indigena
Acao MPF
Bicho preguiça resgatado
Cumprimento mandados
Estudo de potencial
Sac Movel
Recursos assentamentos capa
Hospital Costa das Baleias capa
Policia Civil

Rede Sul Bahia de Comunicação - 2023 ©. Todos os direitos reservados

Rede Sul Bahia de Comunicação - 2023
© Todos os direitos reservados