Ouça a Rádio Alvorada

Play
Pause

17 de June de 2024

Ouça a Rádio Alvorada

Play
Pause

Autoridades e ambientalistas se reúnem para enfrentar falta de água em Teixeira

Compartilhe:

Franedir Gois/OPovonews
 
Nessa quinta-feira (08), ambientalistas e autoridades se reuniram na Câmara Municipal de Teixeira de Freitas para discutir o assunto e confirmaram a triste perspectiva.  Um acalorado debate envolvendo ambientalistas visando colocar em prática um plano de ação para a restauração de rios, mananciais e afluentes no Extremo Sul da Bahia atraiu representantes dos municípios de Itanhém e Teixeira de Freitas, bem como Órgãos, empresas e entidades relacionadas ao fato.
Mas, o que ficou realmente claro nesse evento é que alguns lucram com a crise hídrica e outros virão a lucrar, pois sem restauração, em breve o povo pagará, não só pelo serviço, mas também pela água utilizada.
De acordo com o Presidente da casa legislativa, o encontro teve por objetivo apresentar os problemas observados quanto à crise hídrica e também as possíveis soluções para a fase crítica de seca da bacia do rio Itanhém.
– Com esse tema vamos buscar alternativas para que o município de Teixeira de Freitas e os circunvizinhos consigam amenizar o impacto da estiagem prolongada sobre o abastecimento de água e também sobre a agricultura da nossa região – explicou Agnaldo.
De acordo com a senhora Marfiza, é preciso partir para a execução, pois as consequências são palpáveis.
“Não vamos falar sobre conscientização, mas sobre enfrentamento” sugeriu a Controladora da Câmara de Itanhém.
Hudson Laviola do Viveiro Anauá alertou que restauração é diferente de plantio e que é preciso restaurar também levando em consideração a agroecologia e sistemas de manejamento agroflorestais.
Ivan Dias Rocha (CEPLAC) exaltou a necessidade de barragens, reservatórios e de cercar as áreas a serem restauradas. De acordo com ele, os reservatórios de água para captação da água da chuva contribuem, tanto em favor da irrigação para o agronegócio, como para manter o nível de água dos rios, pois a água captada vai se infiltrando no solo e abastecendo os lençóis freáticos.
Os vereadores chamaram a EMBASA, à responsabilidade e citaram o contrato com a prefeitura e a necessidade de clausulas em que a empresa contribua para restauração do meio ambiente. A empresa, por sua vez, se defendeu alegando que indústrias e o agronegócio também exploram a água.
 

 

Compartilhe:

Leia mais

Investimentos da Apple na Bahia
PRF
Processo contra deputados
Demarcação terra indigena
Acao MPF
Bicho preguiça resgatado
Cumprimento mandados
Estudo de potencial
Sac Movel
Recursos assentamentos capa
Hospital Costa das Baleias capa
Policia Civil

Rede Sul Bahia de Comunicação - 2023 ©. Todos os direitos reservados

Rede Sul Bahia de Comunicação - 2023
© Todos os direitos reservados