Ouça a Rádio Alvorada

Play
Pause

17 de May de 2024

Ouça a Rádio Alvorada

Play
Pause

Advogado diz que Chapecoense foi induzida ao erro no caso Luiz Otávio

Compartilhe:

 
A Chapecoense vai protocolar sua defesa no caso Luiz Otávio nesta segunda-feira – o clube é acusado de ter escalado irregularmente o zagueiro no duelo contra o Lanús, na última quarta-feira, pela Taça Libertadores. Em entrevista ao “Redação SporTV”, o advogado Mário Bittencourt, que auxilia a Chape no processo, disse que o time catarinense se baseia em o que considera um erro de comunicação da Conmebol para pleitear sua inocência.

Bittencourt destacou que o julgamento na Conmebol é diferente do que ocorre no Brasil. Segundo ele, em solo brasileiro, o clube é intimado pelo órgão disciplinar, e o advogado da equipe comparece presencialmente ao julgamento e já deixa o time ciente do resultado. No entanto, segundo o advogado, a decisão de suspender Luiz Otávio por três jogos depois da Recopa não chegou ao conhecimento da Chapecoense.

– Estamos indo para uma linha de defesa de que a Chapecoense foi induzida ao erro por alguns equívocos cometidos pela Conmebol. Estou fazendo essa defesa em conjunto com o doutor Marcelo Amorety, que é o advogado fixo da Chapecoense. Ele fez uma consulta na véspera do jogo da Recopa, quando a Conmebol informou que o atleta deveria cumprir a suspensão automática na Recopa e não na Libertadores. Nesse mesmo dia em que houve esse contato direto no e-mail do advogado, eles alegam que enviaram também o resultado do julgamento que puniu o atleta com três jogos, mas mandaram para outro e-mail – disse.

Bittencourt declarou encarar como inusitado o comportamento do delegado da Conmebol no duelo contra a Lanús, na Argentina, pela 5ª rodada do Grupo 6 da Libertadores. Luiz Otávio, que estaria suspenso de acordo com recomendação da Conmebol, marcou de cabeça nos minutos finais e garantiu o triunfo por 2 a 1.

– A Chapecoense não acusou o recebimento desse e-mail como acusou o da suspensão automática. Na hora do jogo, praticamente no vestiário, sete dias depois do que supostamente haviam informado, o delegado do jogo apresenta em seu telefone celular o resultado de que o jogador estava fora. Só o fato do delegado mostrar na hora do jogo mostra que a Conmebol sequer sabia que tinha enviado, que tinha certeza desse envio. A Chapecoense pede para trocar o jogador, e o delegado não autoriza, o que deixa a Chape ainda mais em dúvida sobre se havia recebido essa punição ou não. Então colocou esse jogador em campo e entende que não estava irregular porque não foi intimada dessa decisão.

A Chapecoense não terá possibilidade de realizar sua defesa de maneira oral, com a presença das partes. O critério utilizado pela entidade que comanda o futebol sul-americano é todo baseado em cima da defesa escrita protocolada. No entanto, o clube esperar conseguir realizar uma audiência presencial para apresentar seus argumentos.

Sportv

Compartilhe:

Leia mais

Investimentos da Apple na Bahia
PRF
Processo contra deputados
Demarcação terra indigena
Acao MPF
Bicho preguiça resgatado
Cumprimento mandados
Estudo de potencial
Sac Movel
Recursos assentamentos capa
Hospital Costa das Baleias capa
Policia Civil

Rede Sul Bahia de Comunicação - 2023 ©. Todos os direitos reservados

Rede Sul Bahia de Comunicação - 2023
© Todos os direitos reservados